Jornal da Universidade Federal do Pará. Ano XXX Nº 130. Abril e Maio de 2016

Desafio Universitário Empreendedor

Plataforma virtual dispõe 10 jogos que exercitam
diversas habilidades empreendedoras.

por Marcus Passos / Abril e Maio de 2015
foto Adolfo Lemos



Estimular atitudes empreendedoras e preparar jovens universitários para os desafios do mercado, por meio da capacitação, do aprimoramento e do desenvolvimento de habilidades corporativas. Esse é o objetivo do Desafio Universitário Empreendedor, uma competição educativa, de abrangência nacional, elaborada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Caminhando para a sua 16ª edição, o programa iniciou como uma simples versão piloto de um jogo cibernético. Atualmente, a competição funciona por meio de uma plataforma composta de atividades virtuais e presenciais, que integram várias ações em torno de um ranking. Nesse espaço, os alunos aprendem a gerir negócios e a difundir conceitos de gestão, mercado, inovação tecnológica e empreendedorismo.

Podem participar do projeto estudantes universitários regularmente matriculados em qualquer curso de graduação, professores de universidades e Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras, credenciadas ou autorizadas pelo Ministério de Educação. A Universidade Federal do Pará (UFPA) participa do Desafio Empreendedor há mais de 10 anos.

Para Gonzalo Enríquez,  diretor da Agência de Inovação Tecnológica (Universitec), a edição de número 15 do Desafio Universitário Empreendedor, realizada em 2014, representou “o maior ano da UFPA no desafio. Nós ganhamos prêmios individuais por participação, por orientação, por instituição de ensino. Foram diversos prêmios que têm uma origem e ela está relacionada à capacidade de difusão do empreendedorismo na Universidade”.

Nesse sentido, uma das metas da Universidade Federal do Pará é promover a discussão do empreendedorismo como tema transversal nos diferentes cursos de graduação. “Mas, para chegar lá, nós temos que fazer um trabalho enorme de difusão. Conscientizar a comunidade universitária: professores, técnicos e alunos, para que entendam a importância do empreendedorismo. E isso tem sido feito em diversas ações realizadas pela Universitec”, afirma o professor Gonzalo Enríquez.

Na fase estadual, a UFPA teve maior pontuação

O programa possui duas fases. A primeira é a etapa regional, em que o participante se cadastra gratuitamente em uma plataforma virtual do Sebrae, na qual estão sediados dez jogos com características empreendedoras. Cada atividade tem uma pontuação específica e quem acumula mais pontos é o vencedor. A segunda parte é a etapa nacional, é o momento prático do jogo, em que os três vitoriosos na fase regional e o melhor colocado no ranking de cada Estado reúnem-se para montar uma empresa virtual relacionada a algum ramo definido pela competição.

A edição 2014 teve a participação de mais de 800 universitários paraenses e 60 Instituições de Ensino Superior. As maiores pontuações da competição no Pará foram alcançadas pelos estudantes Paulo Henrique Silvestre de Souza, de Engenharia Mecânica, e Érica Renata Rodrigues, do curso de Direito. O primeiro colocado no ranking do jogo no Pará é o estudante Rafael Oliveira, do curso de Administração. Todos são estudantes da Universidade Federal do Pará.

Segundo Paulo Henrique, vencedor da etapa regional do ano passado, o Desafio teve grande importância em sua vida. “Aprendi muito com a experiência. Cada jogo testava uma habilidade. Foi um aprendizado que eu vou levar para toda a vida. Além de aprender a gerir uma empresa, pude trabalhar em equipe, o que foi de grande importância para mim. Lá na competição, havia vários desafios e meu curso me ajudou na habilidade de resolver problemas rapidamente”, avalia o estudante. 

Outra categoria premiada na disputa foi a de ‘professor orientador do aluno campeão estadual’, na qual o docente Dionísio Sampaio, do campus de Bragança, saiu vencedor. “A presença desse tutor é obrigatória, pois, para que o aluno conclua o jogo, ele precisa cadastrar um professor orientador. Quando surge alguma dúvida sobre o mercado, eles entram em contato conosco. Esse apoio é feito virtualmente”, explica o professor Dionísio, orientador do Desafio desde 2008.

Universitec propõe difusão do empreendedorismo

Ao ter a chance de gerenciar uma empresa virtual, esses estudantes exercitam algumas características do comportamento empreendedor, tais como, as redes de contato, a persuasão e o ato de se arriscar em algo em que acreditam. Eles serão os proprietários desses empreendimentos, por isso, são responsáveis pela contratação de funcionários, pelo pagamento de impostos e pela compra de matéria-prima. Todos os aspectos positivos e negativos de uma empresa são vivenciados no Desafio Universitário Empreendedor.

A UFPA desenvolveu no ano passado, por meio da Universitec, a primeira edição do Desafio Universitário Inove Mais, competição voltada para a elaboração de ideias inovadoras em várias áreas do conhecimento. “Nós iniciamos o processo de difusão do empreendedorismo nos cursos de graduação. Ele entra como um elemento importante para que o aluno conheça e domine as técnicas que lhe permitam implantar seu próprio negócio, reconhecendo, assim, a importância da inovação tecnológica”, enfatiza o professor Gonzalo Enríquez.

Na avaliação do professor Dionísio Sampaio, “o Desafio Universitário Empreendedor é um programa muito interessante que eu abraço e defendo. O estudante que participa terá um diferencial competitivo no mercado”. E qualquer pessoa pode ter esse comportamento empreendedor: “a dona de casa, o pedreiro, o engenheiro, qualquer cidadão pode ter características empreendedoras e montar um negócio. Independentemente do nível de escolaridade”, afirma o professor.

E mesmo não ganhando a etapa nacional, a equipe que representou o Pará pôde tirar muitas lições dessa competição. “Eu aprendi que devemos acreditar na nossa ideia, desenvolvê-la até o final. O empreendedor tem essa capacidade de pensar em uma ideia e ter coragem para aplicá-la. Essa é uma das principais habilidades do empreendedor que eu aprendi”, conclui o estudante Paulo Henrique.


Serviço:


Mais informações sobre o Desafio Sebrae, acesse o site http://desafiouniversitarioempreendedor.sebrae.com.br


comentários (0)

Escreva seu comentário
menor | maior

busy